quarta-feira, 19 de julho de 2017

III Curso de Biologia de Campo: do Cerrado à borda do Pantanal

Janela do Pantanal

Tem coisa melhor que estudar nas férias de julho?

Pode ter certeza que muitos futuros biólogos, como os que participaram deste curso de campo, podem te responder que não há coisa melhor!
Entre o Cerrado e a borda do Pantanal
Foram dias e noites intensos em imersão ao mundo da biologia, conhecendo e vivenciando as riquezas do bioma Cerrado em zona de transição com o Pantanal. Entre os temas abordados estiveram o papel social do biólogo, técnicas de estudos em botânica, insetos, avifauna, mastofauna, além de educação ambiental e ciência cidadã.
O curso de biologia de Campo promovido pelo Instituto Mamede e parceiros (UNIDERP e Instituto Quinta do Sol), em sua terceira edição, tem como objetivo aprimorar as práticas/técnicas de campo em associação ao ensino de ciências e biologia, sem ignorar, contudo, o contexto social em que os sujeitos (educador e educando) estão inseridos, apontando caminhos e viabilizando a correspondência entre pesquisador e cidadão cientista.


Christian L. Bergamini, acadêmico de biologia


Foi uma satisfação estar perto de tudo aquilo, sinto-me mais saudável, vivo, inteligente e esforçado. O curso, além de nos oferecer um pouquinho sobre o Cerrado e o Pantanal, nos uniu como amigos. (Christian L. Bergamini).



Camila Oliveira, acadêmica de biologia





Foi Maravilhoso poder participar do III curso de biologia de campo com excelentes professores. Adorei me conectar com a natureza e colocar em prática algumas coisas que aprendi em sala. (Camila Oliveira).



Débora Maidana, acadêmica de biologia
Poder colocar em prática alguns dos conhecimentos já adquiridos em aulas e vivenciar toda uma nova experiência com colegas e professores incríveis foi o que tornou o III Curso de Biologia de Campo inesquecível para mim!!
(Débora Maidana)





Gabriel Pleutin



Adorei ter dividido o conhecimento com todos do curso, aprendi que isso não só me trouxe a sabedoria, mas nos tornou mais próximos e mais amigos. A amizade é um dos bens mais preciosos que podemos ter. O conhecimento nos encantou através das vivências junto à natureza (Gabriel Pleutin).




Prof. Gleidson Melo
O III Curso de Biologia de Campo se destacou pelo espírito de união e companheirismo entre todos os participantes. A integração da prática aliada ao conhecimento teórico oportunizaram significativos resultados em prol da construção do conhecimento, desenvolvimento da pesquisa científica e sensibilização a respeito de como é importante conservar o ambiente natural do Cerrado brasileiro à borda do Pantanal Sul-mato-grossense. (Gleidson Melo).

Profa. Maristela Benites


Permitir que o estudante de biologia tenha contato com várias metodologias e as experimente em campo, torna o aprendizado mais efetivo, dinâmico, aprazível e o mundo vivo e real pode, dessa forma, ser revelado. Estes são alguns dos nossos objetivos e desafios nos cursos de biologia de campo que promovemos. Vi olhos brilhando frente ao conhecido - muitas vezes despercebido no cotidiano -, e olhos encantados diante do desconhecido. Ensinar também é encantar, é o que pude, mais uma vez, constatar! (Maristela Benites).

Bruna Andrade, monitora



O III Curso de Biologia de Campo proporcionou, além do conteúdo teórico, práticas de campo voltadas à abordagem científica, com a orientação de professores especializados em diversas áreas do conhecimento. Como monitora, pude relembrar, aprender e observar o crescimento e integração dos alunos do primeiro e último ano de graduação. Tudo isso em meio à paisagem deslumbrante do bioma Cerrado, chegando até a borda do Pantanal, onde pudemos observar nitidamente, do Planalto, a imensidão da planície pantaneira (Bruna Andrade).


Profa. Simone Mamede
Idealizar, planejar e vivenciar os cursos de biologia de campo nos inspira a caminhar, seguir em frente, investindo em conhecimento, técnicas, tecnologias, sonhos, nas atuais e futuras gerações. Este curso vem contribuindo não só para a formação de excelentes profissionais, mas também na formação de pessoas mais humanas, que lutam por uma sociedade mais plena, justa e principalmente sustentável. Sigamos trilhando o caminho de conquistas socioambientais com vistas a territórios mais sustentáveis. (Simone Mamede)



Fernanda Manzur, 
acadêmica de biologia





Participar do III curso de biologia de campo foi uma das melhores experiências que já vivi.. Poder aprender na prática o que vimos em teoria estando em meio à natureza, adquirindo e compartilhando informações. Não poderia ter sido melhor, com professores maravilhosos. Foi demais!!!! (Fernanda Manzur).



Nancy Proença, agente de viagem
Parabéns pela excelente ideia do curso de biologia de campo no período de
férias. A "escolha" do lugar foi de grande importância também para a realização das pesquisas, unindo o teórico e a prática de forma intensa, gerando curiosidade, interesse por novos conhecimentos, incluindo a visualização das espécies, interação e vivência. A motivação gerou um ambiente de descontração e harmonia. Para mim, como agente de viagem, foi uma grande experiência, aprendizado e novas ideias de roteiros no Cerrado. (Nancy Proença).


































terça-feira, 20 de junho de 2017

Pré-fórum de Educação Ambiental do Mato Grosso do Sul





O pré-fórum de Educação Ambiental do Mato Grosso do Sul ocorreu no Museu da Imagem e do Som no dia 09 de junho de 2017. Como foi esse dia? foi um dia de reviver a história da Educação Ambiental do Mato Grosso do Sul. Em poucas horas revivemos mais de 30 anos de persistência e resistência de atores chave e de trabalhos contínuos de Educação Ambiental no Mato Grosso do Sul. Um dia de compartilhar sonhos, reavivar ideais , fortalecer e inspirar novas iniciativas. Na bagagem a esperança de um mundo melhor, mais colaborativo, mais justo e integrador. A Missão? Assegurar a Educação Ambiental enquanto Política Estadual que represente e fortaleça os anseios, a inclusão e a participação efetiva do cidadão sul-mato-grossense Sigamos!!! O caminho é árduo, sinuoso e nada plano. No entanto, promissor. Que continuemos em busca desse sonho que sonhamos juntos!!!!!

Como foi a programação?





Semana do Meio Ambiente em Imagens e Sons: O Patrimônio Natural Inspirando o Patrimônio Histórico-cultural


 “Meio ambiente em imagens e sons – o patrimônio natural inspirando o patrimônio histórico cultural”. Este é o tema de uma programação intensa que será realizada pela parceria entre Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, Secretaria e Fundação de Cultura e o Programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da UNIDERP durante a Semana do Meio Ambiente, com o objetivo de conduzir os participantes a uma reflexão sobre a  importância da conservação preservação dos nossos recursos naturais e da sustentabilidade regional.

De 5 a 10 de junho, o Museu da Imagem e do Som, a Biblioteca Isaias Paim, os parques Anhanduí e Imbirussu e a Uniderp Agrárias vão receber o público com atividades gratuitas como exposições de fotografias e ilustrações, exibição de filmes, discussões sobre a temática ambiental, oficinas de pintura e ilustração, apresentações musicais e de dança, Dia “D” Catalogação das Aves do Campus da Uniderp Agrárias e Lançamento de placas das aves dos parques Imbirussu e Anhanduí.
Uma das organizadoras do evento, Simone Mamede, do Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo , diz que a ideia é fazer com que as pessoas consigam vislumbrar a onipresença da imagem e do som do meio ambiente. “A gente o tempo todo se depara com imagens e sons no nosso cotidiano. O desafio é perceber a interação das inúmeras conexões, e fazer uma reflexão dessas relações, da conectividade que existe entre ciência, cultura, história, paisagem, arte. Tudo está interligado no ambiente que é de todos e que inspira cuidado”.
Para Simone, a Semana congrega o propósito de transformar os olhares para a questão ambiental usando a imagem e o som, acessibilizar o trabalho científico à comunidade de forma geral. “Buscamos trazer os resultados de pesquisas em meio ambiente numa linguagem acessível a toda a comunidade, pois desenvolvemos pesquisas científicas para aprimorar o conhecimento e melhorar as relações humanas com a natureza. O conhecimento aprofundado e sistêmico pode ser ferramenta relevante para políticas públicas socioambientais, contribuindo para a sustentabilidade de territórios e melhorando a qualidade de vida das atuais e futuras gerações. Sustentabilidade, ciência cidadã, cultura e conservação são alguns dos temas desta semana repleta de diálogos, imagens e sons”.
A realização da Semana fica a cargo do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria e Fundação de Cultura, Instituto Mamede e Uniderp, tendo como parceiros a WWF, WCS, Instituto Arara Azul, Instituto Quinta do Sol, Imasul, IFMS, Uems, Turismo-Uems, Projeto Tatu-Canastra, Funlec, UFMS, SED e Planurb.