segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Técnicas de Identificação da Flora do Cerrado e Inglês Instrumental são temas do Curso de Formação de Monitores Ambientais do Parque Nacional das Emas

Atividade de Campo no Mirante do Avoador
Aprender e experienciar algumas técnicas de identificação das plantas que ocorrem no Cerrado foi um dos objetivos do módulo IX (Biodiversidade II), do curso para formação de monitores ambientais do Parque Nacional das Emas, oferecido neste final de semana – 24 a 26/02/2012. A flora do Cerrado, além do colorido de suas flores – diga-se disponíveis ao longo de todo o ano – possui estruturas igualmente belas e interessantes que instiga a curiosidade e o fascínio dos admiradores mais atentos. No entanto, não é tarefa fácil descobrir se se trata de um mandiocão (ou espécie semelhante), muricizinho, murici ou muricizão. 

Identificação de espécies da flora do
Cerrado
Para ensinar quais caminhos seguir para essa descoberta, a engenheira florestal Raquel Garcia Machado levou os participantes a mergulhar no universo das estruturas de identificação das espécies vegetais do bioma Cerrado.


O curso de monitores que iniciou apresentando a organização das fitofisionomias do Cerrado e sua relação com fatores climáticos, disponibilidade de água e condições do solo, isto é, o Cerrado no contexto da paisagem, agora vem estreitando o nível de aprofundamento dos conteúdos, de modo que os participantes adquiram informações e habilidades para interpretar o ambiente em diferentes graus de grandeza, do macro para microvisual, do espacial para o individual, do geral para o específico em constante interação e retroalimentação. É importante considerar que todas as formas de olhar permitidas pelo Cerrado são capazes de encantar o visitante levando-o a refletir sobre a importância desse bioma e a torná-lo agente de difusão de conhecimento e aliado da conservação.
Gomphrena macrocephala


A instrutora Raquel G. Machado pontua que o monitor ambiental que pretende conduzir visitantes no Parque Nacional das Emas precisa conhecer minimamente a Flora do Cerrado e suas características básicas.
Segundo Graziele Carneiro, por dentro de cascas ásperas e rugosas e na morfologia externa geral de suas folhas há um enorme mistério e riqueza de arranjos e estratégias de vida. Thiago de Lamonica afirma que a partir desse módulo nunca mais as plantas do Cerrado passarão despercebidas aos seus olhos. 
E Margie conclui que dependendo do público visitante, há muito o que desfrutar da flora do Cerrado para a educação e interpretação ambiental e que a mesma interage todo o tempo com a observação da fauna.
  
Elaine Margie Taylor - Ministrando Curso de Inglês Instrumental
Inglês Instrumental (módulo X), ministrado por Elaine Margie Taylor destacou a postura do monitor ambiental e técnicas de conversação ao conduzir visitantes estrangeiros, público freqüente na Unidade de Conservação.                                                             
   Para alguns participantes que ainda não tinham tido contato com  a língua inglesa, o curso representou despertamento e aprendizagem. Nos próximos módulos atividades de conversação em inglês serão regulares e frequentes.


Prática da tradução dos roteiros e da identificação da biodiversidade do Cerrado

Margie salientou que todos do grupo apresentam alta facilidade para a pronúncia necessitando apenas de treinamento e enriquecimento do vocabulário, mesmo porque o idioma se mostra mais fácil até mesmo que a língua portuguesa.

O próximo módulo: Geografia, cartografia e geologia local, está previsto para o período de 23 a 25 de março no Parque Nacional das Emas.





Chegando à gênero e  espécie 


Visualização de detalhes da folha de copaíba


Traduzindo para o Inglês!!!!



Roda de Lampião e atividade sensitiva da flora do Cerrado

                                             Momentos de degustação dos frutos do Cerrado.
 

Em busca do equilíbrio com a natureza

Análise  da morfologia vegetal

Análise e identificação de espécies



Fauna completando a beleza e riqueza da flora.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Cicloturismo em Ambientes Naturais: Nature Way

Instituto Mamede e Sopa de Pedra Bikers
OFERECEM:
Cicloturismo em Ambientes Naturais:
Nature Way - Circuito Parque Nacional das Emas
Nature Way - Circuito Estrada Parque do Pantanal
Nature Way - Circuito Estrada Parque de Piraputanga
Nature Way - Circuito Região do Parque Nacional da Serra da Bodoquena
http://www.institutomamede.blogspot.com/p/roteiros-ecoturisticos.html

Nature Way: Parque Nacional das Emas. Foto: Nilson Young
Nature Way: Parque Nacional das Emas. Foto: Instituto Mamede

Nature Way: Parque Nacional das Emas. Foto: Instituto Mamede



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Biodiversidade do Cerrado I e sua exuberante riqueza natural foram temas do VIII módulo do curso de formação de monitores ambientais do Parque Nacional das Emas


O curso de Formação de Monitores Ambientais do Parque Nacional das Emas ministrado pelo Instituto Mamede e PNE, retomou suas atividades em 2012 com o módulo “Biodiversidade do Cerrado I”. O mesmo ocorreu entre os dias 03 e 05 de Fevereiro com aulas teóricas no auditório do PARNA das Emas e práticas em trilhas e ambientes naturais dessa Unidade de Conservação – UC. Os participantes tiveram a oportunidade de experienciar técnicas de observação e identificação de espécies de aves e mamíferos, sendo a observação de vida silvestre uma das modalidades mais difundidas e desenvolvidas nesta UC. A interpretação e educação ambiental foram elementos sempre enfatizados e presentes durante as atividades, visto que sem conduta ética e sensibilidade não é possível contribuir com a conservação de áreas naturais tampouco instigar a sensibilidade e comprometimento dos visitantes que por lá passam. Durante as práticas de campo foi elaborado um Checklist das espécies observadas diretas ou indiretamente, por meio de rastros e vestígios, e que são importantes elementos de contemplação e interpretação ambiental. Entre as espécies observadas estão algumas raras, ameaçadas e/ou endêmicas (exclusivas) do Cerrado, como: onça-parda (Puma concolor), tatu-canastra (Priodontes maximus), lobo-guará (Chrysocyon brachyurus), tico-tico-mascarado (Coryphaspiza melanotis), papa-moscas-do-campo (Culicivora caudacuta), batuqueiro (Saltator atricollis), bandoleta (Cypsnagra hirundinacea), cigarra-do-campo (Neothraupis fasciata), pula-pula-de-sobrancelha (Basileuterus leucophrys), meia-lua-do-cerrado (Melanopareia torquata). Em percurso de aproximadamente 80 km, composto principalmente de áreas abertas de Cerrado, foram observadas mais de 80 espécies de aves e mais de 10 espécies de mamíferos. O Parque Nacional das Emas está a 30 km do Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari e ambos integram as áreas-núcleo do Corredor de Biodiversidade Emas-Taquari, segmento do Corredor Cerrado-Pantanal.
Apesar de o módulo se referir a mamíferos e aves, o grupo foi surpreendido pela serpente urutu-cruzeiro (Bothrops alternatus) e por um lagarto ápodo (sem patas), a cobra-de-vidro: Ophiodes striatus que, na verdade, tem membros reduzidos ou rudimentares. Esta, mesmo não se tratando de serpente é muito temida pela população em geral, mas nada tem a ver com as serpentes verdadeiras a não ser pela imitação do corpo e aparência externa, assim mesmo para uma observação desatenta.


Cobra-de-vidro (Ophiodes striatus) observada no ponto V do Parque Nacional das Emas.

Ana Assis destaca que “observando a cobra-de-vidro em seu ambiente natural ficou muito mais evidente a associação com o rio em forma de cobra-de-vidro retratado em poemas de Manoel de Barros”. Aliás, reflexões sobre escritos de Manoel de Barros e na mochila não poderiam faltar obras de Rubem Alves e de Mário Quintana!
Os próximos módulos estão previstos para os dias 24, 25 e 26 de fevereiro com “Biodiversidade do Cerrado II e Inglês Instrumental”.




Perfil morfológico de alguns grupos de aves (Sick, 1997)

Observando um pitiguari (Cyclarhis gujanensis)

Rastro de onça-parda (Puma concolor)

Encontro com queixadas (Tayassu pecari)

Veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus) entre olhares e cupinzeiros em campo limpo

Adorei e estou mais empenhada do que nunca em aprender os nomes das aves!
Que criaturas perfeitas! (Margie)

Olhando com olhos de ver o Cerrado


Interpretando rastros de mamíferos silvestres

Preparo de contramoldes de rastros de mamíferos

Contramolde de onça-parda

Seleção de rastro para confecção de contramolde


Sob a luz do pensamento e da diversidade biológica

Todos os olhares de ver ave

Observação de aves do Cerrado...
 Realmente foi muito legal, como sempre! Aprendemos um pouco mais e mais e mais e mais... (Nébias)

Concentração e estudos...
Explorando a literatura sobre mamíferos

Alvorada na ponte do Rio Formoso



Psiu!!!!! Silêncio para não afugentar os bichos!!!!

Momento Cultural com Karoline "Escoteira": Violão e Diversidade Cultural