sábado, 29 de março de 2014

Com Olhos de Ver Aves no Parque Nacional das Emas: Sensibilizando Olhares para a Proteção da Biodiversidade do Cerrado

Um Bom dia ao dia na III Edição do projeto "Com Olhos de Ver Aves no Parque Nacional das Emas".

Mutum-de-penacho (fêmea). Foto: M. Benites
E lá vem elas. Chegam de ônibus, com mochilas, bolsas, bagagem cheia de expectativas. Olhares tomados de curiosidade. O que ver primeiro? O mutum-de-penacho? O canário-da-terra? A maria-faceira? Ou o destemido quero-quero que logo evidencia os “esporões” exigindo respeito e provando que está pronto para qualquer embate em defesa de seu território? É tanta coisa pra ver que a fogo-apagou quase passa despercebida, não fosse o voo sonoro, em seguida o canto que repete o nome que recebeu: fogo-apagou!



Quem são? Como são? Por que vieram? Qual a pequena ou longa história de vida de cada uma daquelas crianças de 06 a 50 anos que chegaram para mais uma vivência do projeto “Com Olhos de Ver Aves no Parque Nacional das Emas”? Não importa, ao longo da manhã fomos conhecendo, a partir da convivência, como era cada uma delas.

O importante mesmo foi receber de braços abertos mais uma turminha, dessa vez de Chapadão do Céu-GO, que se dispôs em pleno sábado - após uma semana inteira de aulas na escola -, acordar cedo e se preparar para revisitar (quem já conhecia) ou conhecer, pela primeira vez, o paraíso de Cerrado chamado Parque Nacional das Emas. A riqueza biológica desse lugar é pulsante. E os primeiros vertebrados mais abundantes vistos e/ou ouvidos por todos os lados são as aves. Então, como interagir com elas? Como reconhecê-las e nominá-las? Como saber mais sobre elas? Fácil!
 
Maria-faceira. Foto: Simone Mamede
 É só passar pelas 3 estações simultâneas: Papo de passarinho (contação de estórias sobre as aves), Ciranda de bem-te-vi (jogos biopedagógicos com tema aves) e Olha o passarinho (saída a campo para observação e fotografia de aves).
Pica-pau-de-topete-vermelho (macho). Foto: Maristela Benites
Embora a temática seja Aves, todas as estações enfatizam que a ave não vive sozinha e não é autossuficiente em relação aos recursos naturais: todas precisam de ambiente com disponibilidade de água, plantas, alimento, lugar para se reproduzir, se abrigar, enfim, viver em segurança. Portanto, o ser humano precisa se comprometer para manter espaços suficientes e de qualidade para todos os seres vivos com os quais divide o planeta e dos quais é interdependente.



 Emoção ao assistir exibições das aves (displays), diversão com os jogos da memória que desafiam a concentração, assombro ao celebrar a liberdade do voo! Houve quem dissesse que o mais marcante da atividade foi a sensação de liberdade demonstrada pelas aves observadas.


Apesar da falta de binóculos para todos, os poucos adquiridos e emprestados foram fundamentais para cada assombro e êxtase provocados pelo voo, cores e sons das aves. O exercício do compartilhar, auxiliar, desfrutar junto, foram algumas das virtudes exploradas nas atividades.
Ao final, uma grande roda com 50 pessoas partilharam o piquenique, e a Feira de Trocas enriqueceu cada um com sorrisos, abraços e lembranças que, ao invés de serem descartadas, passarão a circular entre amigos, em réplica aos movimentos cíclicos da natureza.


Papo de passarinho (Contação de estórias)


Diante de toda essa intensidade de beleza, riqueza, sensibilidade e alegria, o grupo não poderia ter outro nome a não ser: Felicidade, Amor, Observação!

A cada grupo que passa pelo projeto a esperança é renovada a fim de que seja o pontapé para Novos Olhares ao Cerrado e sua Biodiversidade.

Um convite para Olhar a Natureza com Olhos de VER e Ouvidos de OuVer!!




Essa é uma das atividades voluntárias desenvolvidas pelo Instituto Mamede e Núcleo de Educação Ambiental do Parque Nacional das Emas. 

Gratidão a todos os amigos que proporcionaram o lindo dia de hoje!

Se você tem binóculo em bom estado de conservação, que não esteja usando e queira fazer doação ao projeto "Com olhos de ver aves", entre em contato conosco e antecipadamente já agradecemos!

O próximo encontro do projeto será em Junho do corrente ano. Fique ligado e participe conosco!


Olha o Passarinho
Ciranda de Bem-te-vi

Um comentário:

  1. Belo trabalho! Conscientização ecológica, despertar de um olhar mais sensível, amoroso e reflexivo sobre a vida e a natureza, formação de possíveis cidadãos mais voltados à preservação e cuidado da Vida.

    ResponderExcluir