segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Monitoramento do Sucesso Reprodutivo do Gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus)

Gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus). Foto: Simone Mamede
Reprodução, sem dúvida, é o evento mais marcante para as espécies. Para aquelas raras e/ou ameaçadas de extinção o momento é igualmente aguardado, sendo que algumas dessas espécies são estudadas e monitoradas por pesquisadores a fim de acompanhar o processo reprodutivo, compreender cada etapa e então contribuir para sua conservação. O Instituto Mamede vem realizando trabalho de monitoramento da reprodução do gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) na região da Serra de Maracaju (MS) desde o ano passado (agosto/2014) e, no último final de semana, contou com a colaboração da equipe do Instituto Arara Azul. 
 
O filhote que completou dois meses logo, logo estará voando e abandonará o ninho. Por ser de médio porte, mesmo com dois meses de vida ainda depende do cuidado dos pais para alimentação. Em nível mundial, a espécie encontra-se em progressivo declínio populacional e atualmente considerada em vias de ameaça pela IUCN (União Mundial pela Natureza). A razão de sua vulnerabilidade refere-se à perda de ambientes adequados a sua sobrevivência (perda de hábitat) e intolerância a sua presença, uma vez que podem atacar galinhas e outros pequenos animais nas propriedades rurais. Embora considerado gavião, possui características de águia, não somente pelo porte que chega a atingir quase 70cm, mas também pela morfologia das asas, aerodinâmica e comportamento. Integra o grupo de águias de hábito florestal que caçam suas presas dentro da mata. Durante o monitoramento já foram identificadas presas como: tapiti (Sylvilagus brasiliensis) e psitacídeo. O Instituto Mamede agradece o empenho e dedicação da equipe do Instituto de Sustentabilidade Arara Azul. Gratidão expressa também às instituições WWF Brasil, WCS (Wildlife Conservation Society) e Instituto Quinta do Sol​, que igualmente vêm somando esforços e contribuindo significativamente no projeto