quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Curso de Biologia de Campo: Estratégia em Tornar a Ciência Mais Cidadã



O Curso Biologia de Campo para Licenciatura ocorrido no Pantanal, região do Amolar, propôs levar os participantes (licenciandos e licenciados em biologia) a vivenciarem dias de campo na maior área úmida alagável do Planeta. Mas o curso não ficou apenas no deleite contemplativo das lindas paisagens e riqueza exuberante da fauna e flora do Pantanal, a proposta foi bem mais ousada e comprometida com a formação de professores. Se por um lado está o Pantanal e sua abundante riqueza de formas vivas, por outro está o compromisso de manter a funcionalidade desse bioma, assim como é, para as atuais e futuras gerações.

Estar em sala de aula é muito mais que expor conteúdos, reproduzir o que está nos livros didáticos e avaliar os educandos. Em primeiro lugar ali estão pessoas e com elas seus anseios, curiosidades e pensamentos próprios, os quais, por vezes, são apropriados de veículos que nem sempre são coerentes com a realidade e/ou seus interesses são questionáveis. Ou seja, o professor-educador tem a missão desafiadora de facilitar o conhecimento e é um grande formador de opinião que opera na conquista, estímulo e fortalecimento da cidadania plena, esta que tem como alguns de seus princípios o pensamento crítico e o respeito em amplo sentido.

Nessa perspectiva, o curso de biologia de campo busca complementar a formação de educadores que possam experienciar práticas da rotina de pesquisa convertendo tal experiência em aprimoramento do conhecimento, técnicas e de materiais didático-pedagógicos que tornem suas aulas e atuação mais dinâmicas e entusiásticas, em compromisso real com a conservação ambiental, cidadania e encantamento pela natureza. Para que esse conjunto seja mobilizado, caminhe e avance articuladamente, deleitar-se com as belezas do Pantanal e de outros biomas por onde o curso tem percorrido, certamente é um dos primeiros estímulos e conquistas.

Entretanto, é preciso por "a mão-na-massa", se dispor, ou seja, é preciso participar, se dispor a aprender a aprender, e a aprender a ensinar, desenvolver o pensamento colaborativo e participar de todas as atividades para melhor compreensão do todo e desenvolvimento de um pensamento sistêmico.

O curso foi promovido pelo Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo em parceria com o Instituto Homem Pantaneiro e apoio do WWF Brasil e da Rede de Proteção e Conservação da Serra do Amolar. A ideia é que o mesmo ocorra todos os anos, em calendário regular, atendendo professores de biologia e acadêmicos de licenciatura em biologia. Aos interessados, fiquem ligados no calendário de curso do Instituto Mamede: www.institutomamede.blogspot.com.br.


O curso para mim se resumiu em:

 


"Saber, entender, compreender o ambiente, sermos a parte que possa ampliar a percepção das pessoas e difundir a ideia e a prática de conservação do nosso ambiente."
Cristiane Ayala, Professora de biologia, Corumbá, MS




"O curso pra mim foi um momento único e MÁGICO, essa é a palavra que se descreve o curso na Serra do Amolar, poder diferenciar a fauna e flora do MS, poder aprender, estar ali, ter a oportunidade de poder vivenciar por 5 dias o amanhecer e o entardecer, cada detalhe de uma vida existente no Pantanal do Paraguai, e essa experiência levarei comigo para o resto da minha vida e é claro passarei para frente, pois a experiência nunca é roubada, mas sim passada a frente com humildade, e espero muito em breve poder presenciar tudo de novo no Amolar, com novas oportunidades dentro do contexto da fauna e da flora."
Cléia Vasconcelos, acadêmica de Biologia, Cuiabá, MT



"Foi ótimo ter participado do curso de biologia de campo, estar em um lugar tão lindo, onde a natureza aos poucos nos revela sua beleza e seu real sentido, mostra-nos um mundo cheio de possibilidades de inovação e desafios. Repensar nossas atitudes enquanto educadores, sobre as estratégias que estamos utilizando e o quanto podemos ousar foram questões tratadas com bastante relevância nesse curso. Observou-se que às vezes precisa-se de muito pouco para despertar a curiosidade de nossos alunos, como por exemplo através de simples práticas que são de baixo custo, podendo assim atingir diversos públicos. A lição que ficou é que não basta querer, tem que fazer, só assim poderemos atingir o nosso real objetivo enquanto educadores, que é o de formar cidadãos conscientes, sensíveis à causa e críticos a fim de querer transformar o mundo em que vivem."
 Tamyres Dias. Professora de Ciências e Biologia no Pantanal do Paiaguás, Corumbá, MS.


"Para mim o curso foi uma incrível oportunidade de vivenciar o Pantanal, em
tamanha plenitude, conforme  encontramos na Serra do Amolar, e de partilhar conhecimentos. Em resumo, foi um momento para aprimorar os conhecimentos em ciência e educação, mas também para estreitar relações humanas e com a natureza, compreendendo assim o papel do biólogo nessa interface. Só tenho a agradecer a toda a equipe e alunos pela sintonia, e pela oportunidade, gratidão a todos!"
Natália Paludetto, Bióloga, Mestre em Ecologia e Conservação




"Eu amei, aprendi muito e tenho certeza que me tornei uma professora um pouquinho melhor!!"
Cintia Possas, professora de Ciências e Biologia, Campo Grande, MS














sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Curso Biologia de Campo



 
A ideia do curso Biologia de Campo para Licenciatura partiu da necessidade em contribuir para tornar efetiva a ponte entre ciência e educação, fazendo com que os educandos sob a responsabilidade desses educadores recebam formação plena não apenas em ensino formal, mas em cidadania. Assim, o curso de Biologia de Campo oferecido pelo Instituto Mamede é direcionado para acadêmicos de biologia ou biólogos já formados que atuam na licenciatura.  O mesmo tem como objetivo aprimorar as práticas/técnicas de campo em associação ao ensino de ciências e biologia, sem ignorar, contudo, o contexto social em que os sujeitos (educador e educando) estão inseridos. 
Vivenciar em campo os conteúdos teoricamente aprendidos durante a graduação concorre para a melhoria da compreensão, da abordagem, da interação com o educando, da práxis educativa e do ensino de ciências propriamente dito. Além disso, é uma forma de identificar e estimular o cidadão cientista que existe em cada estudante, de modo a tornar a biologia, uma ciência mais humanizada e cada vez mais cidadã. Por vários motivos, o acadêmico de biologia não dispõe, muitas vezes, de acessibilidade e oportunidade para vivenciar aulas de campo durante a graduação, o que acaba prejudicando sua atuação enquanto professor-educador.  
Dessa forma, o curso visa ensinar a ensinar em campo, contribuindo para que os professores do ensino fundamental e médio construam e usem técnicas de campo como ferramentas de ensino de ciências e biologia. Como se poderia dizer é o: conhecer, vivenciar, para amar e ensinar e ensinar amando. 
 O curso Biologia de Campo realizado pelo Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental teve sua primeira edição  nas férias de julho de 2015 na região da RPPN Vale do Bugio, Corguinho/MS - Base de Campo do Instituto Mamede. Em sua segunda edição o curso será na RPPN Acurizal - Base de Campo do IHP.  Nesta segunda edição o Instituto Mamede conta com a parceria do Instituto Homem Pantaneiro e apoio do WWF Brasil.

O curso foi uma experiência realmente mágica, a oportunidade de ter mestres ali a cada minuto do dia,onde o aprendizado vinha não somente das aulas, mas até de uma simples refeição em grupo, é inexplicável. Sou grata ao Instituto não só pelo aprendizado, mas por tudo que eu cresci lá, foi amor!
 (Amanda Borges, aluna de licenciatura em Biologia, UFMS - Curso Realizado em Julho de 2015 na Base de Campo do Instituto Mamede)

A sabedoria e o conhecimento se realiza pela vivência e essa interação foi promovida pelo Curso de Biologia de Campo entre o meio ambiente e os indivíduos de diferentes espécies que ali estavam.
(Marta Melo, aluna de mestrado em Meio Ambiente, UNIDERP - Curso de Campo, julho de 2015)
 
"O Curso de Biologia de Campo - julho/2015 foi conduzido de maneira dinâmica e agradável. A Simone, a Maristela e o(a)s Palestrantes, demonstraram conhecimento, profissionalismo e cuidado ao trazer as informações, prezando pelo entendimento de todo o grupo. Além disso, seus gestos de carinho, atenção e delicadeza fez-me perceber o quanto algumas pessoas são especiais na forma de ser e como são bem-vindas as suas ações. Portanto, a melhor maneira de expressar meus agradecimentos pelos belos e prazerosos momentos de muito aprendizado, é dizendo que desfrutei plenamente e recomendo a todos que amam a Natureza e queiram aprender mais sobre ela. Muito Obrigada ao Instituto Mamede e suas responsáveis!"
(Sônia da Conceição, profa. de Biologia da rede pública de ensino, MS) 






Prêmio Braztoa de Sustentabilidade: Atitudes que transformam o Turismo

O Instituto Mamede  recebe prêmio de Sustentabilidade unindo duas paixões: bicicleta e a observação de aves "Bike Birding e Cicloturismo Socioambiental". Representantes do Instituto voltam do Rio de Janeiro trazendo o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade: "Atitudes que Transformam o Turismo". A equipe está muito feliz pelo reconhecimento do  trabalho e reconhece  os desafios desta longa jornada.
Aqui deixamos nossos agradecimentos especiais a todos os parceiros que militam e participam dos mesmos sonhos nesta busca constante pela sustentabilidade e olhares mais sensíveis para a biodiversidade. Em especial a todos parceiros e amigos que sempre estiveram com a gente comungando dos mesmos ideais de um mundo melhor. Gratidão, gratidão... e continuemos a travessia.
O Instituto Mamede ficou em segundo lugar na categoria: Agências de viagens, devido ao seu excêntrico  diferencial,  as viagens promovidas pelo Instituto Mamede são utilizando um meio de transporte bem sustentável que é a bicicleta, além de promover ações sociambientais envolvendo as comunidades receptoras e a conservação da natureza através através de atividades socioambientais e a contemplação de aves livres.