terça-feira, 21 de junho de 2016

Observatório: Com Olhos de Ver Aves

Observatório: Com Olhos de Ver Aves na Comunidade
Quilombola Furnas do Dionísio, Jaraguari, MS
Primeiro evento do Observatório: Com Olhos de Ver Aves,
Parque Nacional das Emas, julho de 2013

Observatório com os desbravadores, Campo Grande - MS, 2016
O projeto Observatório de biodiversidade: Com Olhos de Ver Aves, nasceu em julho de 2013, com sua primeira edição no Parque Nacional das Emas. De lá para cá, o projeto percorreu várias cidades e comunidades dos biomas Cerrado e Pantanal, entre elas: Chapadão do Céu-GO, Botino-MS, Campo Grande-MS, Comunidade Quilombola Furnas da Boa Sorte, Corguinho- MS, Comunidade Quilombola Furnas do Dionísio-Jaraguari, MS, Comunidade da Barra do São Lourenço, Pantanal do Paraguai, Corumbá- MS, Escola Jatobazinho, Corumbá-MS e tantas outras escolas, cidades e comunidades pelo estado do Mato Grosso do Sul.

No mês de junho de 2016 o Instituto Mamede superou seu recorde com mais de 5.000 pessoas acolhidas no projeto Observatório da biodiversidade: Com Olhos de Ver Aves.

Como dotar de assombro os olhos de quem vê?
Observatório Com Olhos de Ver Aves no Parque Estadual do
do Segredo 


Basta olhar a natureza!!! Parece simples e fácil. Até pode ser para alguns. No entanto, ultimamente nossos olhos se desgastam no cotidiano, taciturnos e indiferentes.

A beleza que está sempre ao nosso alcance nem sempre é descoberta, reverenciada ou percebida.

Assim o projeto tem a missão de despertar olhares para a natureza, começando pelas aves. Elas que conquistaram o espaço aéreo e possuem forma singular de se revestir de cores e povoar o imaginário humano. Estão por toda parte.

Quem nunca viu ou ouviu uma ave?
Papo de passarinho com os desbravadores
Lago do Amor, Campo Grande, MS


Difícil uma resposta negativa. Mas, quem já observou detalhadamente uma ave?


Assim, o projeto "Com Olhos de Ver Aves" busca exercitar vários contextos da observação: através do Imaginário (Papo de passarinho), ludicidade (jogos biopedagógicos - ciranda de bem-te-vi) e da observação propriamente das aves em liberdade (olha o passarinho).


Como é indescritível a sensação e emoção ao ver uma criança suspirar quando observa uma ave a partir da luneta! Ou querendo tocar a ave olhando através dos binóculos! Naturalmente que a emoção é compartilhada. A intenção não é restringir o foco para as aves, mas calibrar o olhar a partir delas.
Com Olhos de Ver Aves na Comunidade Quilombola
Furnas da Boa Sorte, Corguinho, MS.
Trazer de volta o encanto pelas coisas simples, naturais e belas. Perceber que a vida que nos rodeia é repleta de formas vivas, cada uma com sua singularidade que nos enriquece e nos faz viver! É o lifer que, de fato, nos vivifica!

Agradecemos a todos os amigos que nos auxiliam a tornar possível a mudança que queremos ver no mundo. Temos certeza que vários pequenos mundos são transformados com estas ações.

Contribua neste projeto de Ciência Cidadã, sendo voluntário ou doando binóculos, lunetas, tripé, guias de aves já usados, mas que estejam em bom estado de conservação para a utilização no projeto. Contamos com vocês!!



Papo de passarinho, Escola Jatobazinho, Corumbá, MS, 2016
Olha o Passarinho!!


Ciranda de Bem-te-vi com os escoteiros, Campo Grande, MS

Estação Olha o passarinho, Comunidade da Boa Sorte


No caminho tem até Rios que Voam


Furnas do Dionísio, 2015




































Observatório com olhos de ver aves, Jatobazinho, 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário