Birdwatching

Oferecemos pacotes exclusivos e personalizados para birdwatching com guias especializados em observação de aves.
Roteiros: Cerrado, Chaco e Pantanal Sul
Número de participantes: até 4 pessoas.
contato: institutomamede@gmail.com 

Ao todo são 5 roteiros consolidados envolvendo os biomas Cerrado, Pantanal e Chaco:

Roteiros consolidados: 

Roteiro Estrada-Parque do Pantanal, MS-184

Este roteiro é realizado na Estrada-Parque do Pantanal na região de Miranda e Corumbá, com duração de 1 a 4 dias dependendo da disponibilidade do grupo. O percurso é rico em espécies de aves aquáticas, rapinantes e passeriformes típicos do Pantanal.



Parque Anhanduí, roteiro birdwatching, Cidade Morena




Roteiro Cidade Morena

Contempla as áreas verdes de Campo Grande, capital do MS, com sua rica diversidade de aves. Entre os Parques percorridos estão o Parque Imbirussu, Parque Anhanduí, Parque das Nações Indígenas, podendo ainda se estender para os Parques Estaduais como o Estadual do Prosa e Nascentes do Segredo. Podem ser encontradas desde aves relativamente comuns (ferreirinho-relogio, ariramba-de-cauda-ruiva, surucuá-de-barriga-vermelha, udu-de-coroa-azul etc) até espécies raras e ameaçadas como: gavião-pega-macaco,
arara-azul, tico-tico-mascarado e outros), dependendo da sorte!


Roteiro Cerrado "Parque Nacional das Emas"
Considerado área núcleo da Reserva da Biosfera do Pantanal e Patrimônio Natural da Humanidade o local é incrível para observação de espécies endêmicas do Cerrado brasileiro, tais como: meia-lua-do-cerrado, bandoleta, bico-de-pimenta, mineirinho, limpa-folha-do-brejo, gralha-do-campo, assim como espécies raras: águia-cinzenta, andarilho, tiê-bicudo, tico-tico-mascarado, maxalalagá e outros.
  
Roteiro Chaco - Porto Murtinho/MS
O Chaco brasileiro é um bioma que nos revela muitas surpresas, principalmente quando se trata de aves. Em expedição de 3 dias é possível registrar mais de 150 espécies, entre as quais: rapazinho-do-chaco, alegrinho-do-chaco, pica-pau-de-barriga-preta, pica-pau-de-testa-amarela, pica-pau-chorão, arapaçu-do-campo, saracurussu, entre outras diversas espécies que vale a pena conferir.

 

Roteiro Serra de Maracaju
Este roteiro percorre áreas incríveis da região da Serra de Maracaju, podendo ser avistadas aves dos biomas Cerrado, Pantanal e até mesmo de Mata Atlântica. 





Próximo Evento de Turismo de
Observação de Aves (Birdwatching): 
 
IV Busca ao Lifer: Birding Festival
Período: Setembro de 2016
Total de vagas: 10
Local: Pantanal  Inscrição aqui: http://goo.gl/forms/ALXDlp13M6

O Busca ao Lifer (primeiro encontro com uma ave nunca antes observada), é um momento de celebração às aves em liberdade e contato direto com a natureza e seus elementos. Todo o ano é escolhido um bioma que sediará o evento e cada inscrito participa da expedição turística em busca de seu lifer particular. São três dias de imersão aos ambientes naturais com saídas intensivas à campo para observação, interação, fotografia, registros, encontros, sorrisos, adrenalina e, naturalmente, muitos lifers. A programação inclui: saídas a campo, safári fotográfico, momento photo recap (recapitulação e socialização do momento da captura da imagem), revisão dos check lists e a tradicional feira de trocas no encerramento. O grupo é sempre conduzido por guias especializados em birdwatching. A companhia, troca de experiências e a interação com o ambiente tornam o encontro ainda mais aprazível. O Brasil, país mais rico em biodiversidade no mundo, sempre nos brinda com muitas surpresas especiais e alegria! 
É desejável que o participante disponha de equipamentos óticos básicos como binóculos, luneta e/ou câmera fotográfica, no entanto, isto não representa impedimento ou obrigatoriedade à participação, são apenas sugestões para melhor visualização das características morfológicas das aves e registro das mesmas. O que vale mesmo é a experiência e disposição para interação simples, mas plena com a natureza.
Vale a pena conferir e participar dessa festa em harmonia com o ambiente! Te esperamos!

  
    II Busca ao Lifer: Birding Festival - Ano 2014: http://virtude-ag.com/eu-divulgo-como-foi-o-ii-busca-ao-lifer-corguinho-ms-set-2104-por-simone-mamede/



    I Busca ao Lifer: Birding Festival - Ano 2013: http://institutomamede.blogspot.com.br/2014/08/o-que-e-o-busca-ao-lifer-birding.html






 A observação de aves (birdwatching) é a atividade mais antiga e difundida no ramo do turismo de contemplação da natureza, destacando os EUA, Inglaterra, Alemanha e Japão. Estimativas apontam que existem, aproximadamente 80 milhões de observadores de aves pelo Mundo. O Brasil, não surpreendentemente, tem se revelado alto potencial para o desenvolvimento desta atividade por vários motivos, dentre eles o elevado número de áreas naturais e a alta diversidade de aves - próximo de 1.700 espécies - quase 20% do número total de espécies existentes no mundo (Benites, 2005).
Prancha de identificação de aves (Rolf Grantsau, 2010)


Noite sem luar no Parque Nacional das Emas: entre mariposa e bacurau-chintã (Caprimulgus parvulus). Saída de campo com grupo do curso de fotografia, 2007. (Foto: Mamede).




Birdwaching Parque Nacional das Emas (MS/GO)

Udu-de-coroa-azul (Momotus momota). Trinha da Cotia.
Parque Natural Municipal Salto do Sucuriú - Costa Rica, MS. (Foto: Mamede)


Para a observação de aves são indispensáveis alguns equipamentos, quais sejam: binóculos e lunetas, pelo menos. Esses equipamentos contribuem para evitar a aproximação exagerada, afugentação das aves e qualquer tipo de impacto causado pela presença humana sobre as populações observadas. 
Matim-pescador (Chloroceryle amazona). Foto: Mamede

Observação de Aves no Pantanal do Nabileque - MS


Jaçanã (Jacana jacana). Essa foto foi tirada no retorno de uma das
expedições ao Pantanal do Apa.(Foto: Mamede)
Observação de Aves no Pantanal Miranda-Abobral. Estrada Parque do Pantanal (Rodovia MS-184), 2011.


O Pantanal, em especial, além de privilegiar os observadores de quase todos os estilos, apresenta uma avifauna muito particular que são as aves aquáticas. Estas podem ser encontradas em rios baías, corixos, vazantes, caixas-de-empréstimo, além dos corpos d'água adjacentes às estradas. Durante 3 anos de monitoramento de algumas populações de aves aquáticas, ocorrentes ao longo das estradas: BR-262, Estrada-Parque (Rodovia MS-184) e rios Miranda e Vermelho, foram registradas mais de 10.000 aves, em média, as quais podem ser vistas em numerosas agregações os ambientes aquáticos adjacentes. Essas aves se concentram nos ambientes úmidos em determinadas épocas do ano, para o uso de recursos alimentares abundantes e/ ou para se reproduzirem na região. Pode-se destacar o tuiuiú, o cabeça-seca, o colhereiro e algumas espécies de garças (Benites, 2005).



Observação de Aves no Parque Nacional das Emas. Mineiros - GO


Coruja-buraqueira (Athene cunicularia).
Parque Nacional das Emas.(Foto: Mamede, 2007)


Bem-te-vi-pescador, onde?

Se você acha que já viu de tudo no Pantanal, talvez tenha presenciado as cenas que vimos em final de março no Pantanal do Miranda-Abobral. E para aqueles, que como eu, ainda não viram tudo e sabem que o Pantanal é surpreendente a todo instante perceberá quanta riqueza e encanto temos ao nosso redor.

A cheia no Pantanal em 2011 tem sido considerada uma das maiores dos últimos anos. De fato, vários trechos de estradas vicinais e mesmo de rodovias estaduais foram interditadas, é o caso da rodovia MS-184 que compreende a Estrada-Parque na região de Corumbá-MS. Nesses locais, onde a passagem de carros e outros veículos é paisagem corriqueira, os mesmos tiveram de ceder espaço à travessia de peixes e outros seres aquáticos! Sim, é verdade! E, como peixes representam “prato-cheio” para várias espécies animais predadoras lá estava ele, o bem-conhecido-de-todos, bem-te-vi (Pitangus sulphuratus), aproveitando o momento oportuno de “mesa-farta”.

As diminutas quedas d’água formadas em decorrência do desnível e irregularidade da estrada pareciam verdadeiras cachoeiras onde lambaris e outros pequenos peixes saltavam em sentido contrário à correnteza. Total sintonia com aquele instante.

Bem-te-vi é considerado espécie com ampla dieta (onívora), ou seja, se alimenta de tudo tanto matéria vegetal (frutos, por exemplo) quanto matéria animal (insetos e outros invertebrados até pequenos vertebrados como morcegos e peixes). Peixes passando e bem-te-vis se alimentando, assim é o vai-e-vem no Pantanal!

Não poderia deixar de compartilhar esse momento!

Bem-te-vi com peixe no bico. 



Fotos: Mamede, 2011.

Note que observar aves não serve apenas para ampliar o número de espécies registradas, mas também para prestar atenção no seu modo de vida, como interagem com os demais elementos da natureza e representa super oportunidade para interagir com ela!


 QUALIFICANDO O TURISMO DE OBSERVAÇÃO DE AVES NA REGIÃO DO PARQUE NACIONAL DAS EMAS: 
Acesse: http://www.institutomamede.blogspot.com.br/2012/12/qualificando-o-turismo-de-observacao-de.html






























Nenhum comentário:

Postar um comentário